florista online

Porque há floristas a fechar e outras a crescer em plena Primavera?

Este é um exemplo simples da adaptação ao mundo digital. Ser uma empresa nos dias atuais, não basta apenas ter qualidade na prestação dos serviços e produtos. É necessária uma constante adaptação aos cenários digitais.

Se vemos floristas a fechar as portas e a apontar como principais motivos, a perda do interesse dos clientes por estes produtos. Vemos noutras perspetivas floristas a crescer e a aumentar a sua quota de mercado, pois decidiram adaptar-se às exigências do cliente atual (cliente mais digital, online), através da criação de sites de ecommerce, com a oferta da entrega no local que o cliente desejar (casa, trabalho, café, biblioteca, rua etc.).

Para crescermos no mercado atual temos de estar atentos às tendências do mesmo e evoluirmos a um ritmo acelerado. Independentemente da empresa que tenhamos é importante estar um passo mais à frente da sua concorrência e entender como ela se está a adaptar aos novos cenários. Todos os dias há novos desafios a enfrentar.

Arte floral

Se antes uma florista bastava ter jeito e gosto pela arte floral, atualmente essas qualidades já não são suficientes.

  • É necessário ter uma pessoa responsável por fazer chegar a sua empresa aos novos perfis de clientes (online).
  • Não devemos descurar o nicho de mercado de clientes atuais, com uma faixa etária mais elevada e que gosta de ver e escolher o produto na sua loja.
  • Mas temos de nos adaptar ao cliente digital, que pretende poupar tempo na deslocação até à florista, tempo na escolha das flores sem saber bem qual será o resultado final do ramo/arranjo, tempo de espera pela preparação do arranjo e de seguida ir entregar ao destinatário.

Se verificarmos o que se está a passar no mercado, podemos observar que existem floristas completamente online voltadas para o digital. Floristas que mostram as suas opções de produtos e o cliente só tem de escolher o ramo, a mensagem a enviar, a morada e nome do destinatário e a entrega é realizada dentro do horário escolhido pelo cliente gratuitamente.

Serviços como este são uma mais-valia para os novos perfis de clientes, que procuram poupar tempo e dinheiro com a deslocação, a espera pela preparação do ramo e ir de seguida realizar a entrega.

cesta de flores

Este simples serviço online é facilmente observável se começar a olhar um pouco à sua volta, deixando de estar tão focado no motivo “incógnito”, das suas vendas estarem a diminuir. Por vezes as respostas estão mesmo à frente dos nossos olhos, apenas temos de parar, observar e tomar uma atitude de mudança.

  • Peça ajuda a quem o pode ajudar!
  • Crie o seu portfólio online com as fotografias dos produtos que pode criar, não tenha medo de colocar os seus preços, mesmo que superiores que a concorrência é a sua estratégia e posicionamento que importam.
  • Sublinhe que tem serviço de entrega gratuitamente, na sua localização num raio de x km.
  • Mostre ao novo cliente online, como pode fazer uma surpresa a quem mais ama, sem sair de onde está.

Tal como encomenda uma pizza, o cliente pode estar em casa a preparar essa surpresa e em pouco tempo terá o “ramo” a tocar à campainha, proporcionando uma surpresa incrível a quem mais ama.

As reações são fantásticas! Evolua e faça o seu negócio voltar a crescer.

Antes de mais nada o que é o marketing de conteúdo?

“O Marketing de conteúdo é a estratégia de marketing que usa o conteúdo como ferramenta de descoberta, informação, vendas e relação com o público de uma empresa. Consiste em definir esse público, estabelecer os pontos de contacto, entregar valor e educar o cliente mediante conteúdo das mais variadas modalidades, medindo cada etapa da relação com vista a manter o conteúdo relevante para o consumidor.” Definição retirada do livro: Marketing de Conteúdo, a moeda do século XXI, de Rafael Rez.

O MARKETING DE CONTEÚDO UTILIZA MENSAGENS QUE EDUCAM O CLIENTE E O AJUDAM A CONHECER MELHOR A SOLUÇÃO PARA O SEU PROBLEMA, NOMEADAMENTE O PRODUTO, O SERVIÇO E A EMPRESA.

É importante mostrar como funciona o produto/serviço e explicar como os restantes clientes já utilizam o mesmo, esclarecendo dúvidas de potenciais clientes.

“AS PESSOAS QUEREM OUVIR HISTÓRIAS, MAS AS MARCAS JÁ NÃO CONTAM HISTÓRIAS. ELAS ESTÃO MUITO OCUPADAS COM APLICAÇÕES, CELEBRIDADES, OFERTAS, PREÇOS E PROMOÇÕES.” DON SCHULTZ

SEJA BEM-VINDO/A À REVOLUÇÃO DO MARKETING DE CONTEÚDO. O SEU NEGÓCIO NUNCA MAIS SERÁ O MESMO!
  • Tem um site desactualizado que necessita de novas páginas e um blog que está parado?
  • Sabia que lhe posso criar artigos que são procurados pelos motores de busca (Google) e que atingem as suas personas (atuais e potenciais clientes)?
  • Vai estar presente numa feira ou evento?
  • Irá necessitar de material de apoio tais como: catálogos, brochuras, flyers, brindes institucionais etc.

Desde 24.90€:

Posso criar-lhe histórias, que o seu público quer conhecer, através de conteúdos até 500 palavras– 24.90€. Saiba mais!

Histórias (conteúdos) com mais de 500 palavras é cobrado à palavra e tem um valor de 0.0498€+IVA por palavra, isto é, 600 palavras x 0.0498€=29.88€Saiba mais!

Deve estar a pensar que são poucas palavras, mas queremos histórias interessantes e relevantes, que prendam o público, certo?

E não histórias maçudas, que perdem interesse no primeiro parágrafo. Depois também temos a questão do SEO, o Google apenas indexa bons conteúdos tudo o resto é ignorado, lembre-se disso.

Contacte-me já, sem qualquer compromisso e obtenha o seu orçamento:

Certificado Especialista em Produção de Conteúdo
rumo à aventura sem planeamento

8 Motivos porque os Estudos de Mercado são importantes

  1. Esclarecem as suas dúvidas;
  2. Apresentam dados atualizados do mercado e dos seus concorrentes;
  3. Colocam-lhe novas oportunidades e desafios;
  4. Exploram novos caminhos;
  5. Encontram respostas que irão orientar os próximos passos;
  6. Procuram novos parceiros de negócios e clientes;
  7. Planeiam o seu budget;
  8. Cada estudo é único de acordo com as suas necessidades e criado exclusivamente para a sua empresa.

Estes são os 8 motivos, mas se não ficou convencido imagine a seguinte situação:

Decidiu que este fim-de-semana vai fazer uma “escapadinha”, para descobrir novos lugares até ao momento inexplorados. Como é apenas um fim-de-semana o tempo é curto para aproveitar tudo da melhor maneira e é necessário planear o que vamos visitar e fazer o respetivo itinerário.

Começa a tratar de fazer a mala com os itens essenciais para que tudo corra bem e quando se apercebe do tempo que gastou a organizar a mesma, já é tarde, sente-se cansado e decide no dia seguinte ir mesmo sem plano definido rumo à aventura.

No sábado de manhã coloca a mala no carro e parte rumo ao desconhecido, confiante que vai ser um fim-de-semana incrível, cheio de aventuras e aproveitado ao máximo.

  • Ao se começar a afastar de casa começam as dúvidas e agora?
  • Vou para o litoral ou o interior?
  • Prefiro campo ou praia?
  • E onde vou passar esta noite? Num hotel ou pousada?

Estas e muitas outras dúvidas vão começar a surgir na mente deste aventureiro e todas elas a uma velocidade estonteante. Todas elas necessitam de uma resposta e essa vai ter uma consequência.

Por exemplo se for para o litoral poderá estar mais frio e ventoso ou um calor insuportável, pois não sabemos em que estação do ano foi esta aventura. Mas logo esta decisão vai ter como consequência, se os produtos e roupas que estão na mala serão os mais apropriados para aquela região. Será que está preparado para o cenário que vai encontrar?

  • Outro exemplo onde irá passar a noite?

Neste caso será afetado o seu orçamento para esta aventura. Se escolheu o litoral e estamos na época alta, provavelmente será extremamente difícil conseguir um lugar para ficar e caso venha a conseguir o preço a pagar pelo mesmo será extremamente elevado.

Como estes exemplos muitos outros podiam ser dados, mas estes são suficientes para entendermos a importância de um estudo antes de partirmos à aventura, se quisermos ser bem-sucedidos e não ultrapassar o orçamento que tínhamos disponível para esse fim.

Se não quer que a sua aventura por terrenos inexplorados corra mal, tenha um planeamento bem definido para que possa consultar sempre que necessitar.

Dina Ferreira – Consultora

Se quiser saber mais sobre este e outros temas deixe o seu email e receba estes artigos diretamente no mesmo:

Consultoria de marketing, o que é?

São imensas as empresas, que têm variadas dúvidas sobre quais as estratégias de marketing que devem adotar e não sabem o que fazer, nem como resolvê-las.

Nessa altura deverão pesquisar e encontrar o melhor consultor/a, que apresente um perfil profissional e experiência comprovada na área. De seguida contactá-lo/a para uma ou várias sessões de consultoria.

O próximo passo sabemos que nem sempre é fácil, pois terá de abrir as portas da sua empresa, para alguém estranho. Mas pense no lado positivo, será alguém que o vai ajudar a solucionar os seus problemas e a esclarecer as suas dúvidas. Alguém que lhe dará caminhos possíveis a seguir e que o ajudará a analisar a sua empresa e mercado.

A consultoria de marketing, também denominada muitas vezes por outros nomes: reunião de planeamento estratégico, reunião de gestão de marketing, apuramento das técnicas de marketing, gestão estratégica da empresa etc. é fundamental para a definição dos seus objetivos de marketing, para a melhoria de processos internos e externos da empresa, entre outros aspetos.

Com a ajuda de um consultor/a especializado/a fica mais fácil definir certos aspetos fundamentais ao seu negócio, tais como uma simples análise swot (pontos fortes e fracos, ameaças e oportunidades).

Quem analisa a sua empresa de fora, consegue ver aspetos positivos e negativos, que alguém internamente não vê devido à ligação emocional que tem com a mesma. Por vezes uma análise que parece mais complicada à equipa interna é facilmente realizada pela equipa externa e vice-versa.

O foco das sessões de consultoria servem para que a informação estratégica que é apurada interna e externamente, leve à tomada de decisões mais coerentes e corretas a médio e longo prazo, pelos tomadores de decisão.

Muitas das sessões de consultoria ajudam também na criação do plano de marketing, que consequentemente leva à definição de todas as variáveis do marketing mix, tais como: o preço, o produto, a comunicação e a distribuição.

Relativamente ao relacionamento com os seus clientes, por vezes sente dificuldades em transferir o mesmo do meio “offline” para o meio “online”, não é?

Uma das muitas dificuldades, que as empresas de consultoria de marketing ajudam a ultrapassar é através do aconselhamento estratégico relacional e comunicacional.

Sabemos que o marketing digital para empresas tem sido um bicho-de-sete-cabeças para muitas. São muitas as redes sociais online onde a sua empresa pode estar presente, são muitos os emails marketing que podem ser enviados, mas é preciso saber atualizar e segmentar a base de dados e são muitas as campanhas no Google Adwords e/ou Faceboos Ads que podem ser criadas, mas para quê?

Qual é o real objetivo de todas estas ferramentas de marketing digital?

A resposta a estas e muitas outras questões é da missão dos consultores de marketing. Pois as sessões de consultoria servem para ajudar as empresas, a ultrapassar as suas dificuldades e a superar os novos desafios, com o objetivo de atingir novamente o caminho que leva ao sucesso e ao crescimento da sua empresa.

E lembre-se: “Nenhuma empresa é melhor do que o seu administrador permite.”

Peter Drucker

Se surgiu alguma dúvida ao longo da leitura deste artigo, envie-me agora uma mensagem. Terei todo o gosto de poder ajudar, a esclarecer a sua questão.

Um bom CV atrai os Gestores de RH

Como criar um bom CV em 5 passos?

Antes de mais nada, devemos ter em atenção qual a função e empresa, a que nos estamos a candidatar.

Existem certas ofertas de emprego que exigem que o curriculum vitae – CV seja enviado no formato do modelo europeu, também conhecido por cv europass, pois quando se trata de uma função que não exija criatividade é mais fácil para o gestor de recursos humanos realizar a comparação dos inúmeros candidatos através de um CV padronizado.

Sempre que esta exigência não seja mencionada na oferta de emprego, claramente deverão dar asas à vossa criatividade e mostrar um pouco das vossas capacidades na criação do CV, mas nunca esquecendo as informações obrigatórias do CV, que iremos abordar de seguida.

  1. Fotografia e respetivos contactos atualizados – Neste ponto a vossa melhor fotografia sem uma postura defensiva (braços cruzados, ombros desalinhados etc.) é fundamental. No caso dos contactos uma vez que o CV irá ser enviado para inúmeras ofertas de emprego, não é aconselhável colocarem a vossa morada completa, basta apenas a cidade e mais tarde na entrevista, quando souberem mais informações sobre as reais intenções da empresa e/ou no momento da contratação, aí sim fornecem a vossa morada completa na ficha de novo colaborador, estando desta forma os vossos dados pessoais salvaguardados;
  2. Breve resumo sobre as vossas mais-valias e o porquê de se estarem a candidatar a esta função – Pensem nas vossas características chave e elaborem um pequeno parágrafo com as mesmas, ex:  “Sou uma pessoa extremamente motivada para desenvolver as minhas competências e crescer profissionalmente. Estou confiante na minha capacidade de apresentar ideias interessantes que irão impulsionar a sua empresa.”
  3. Mini-infográficos com características-chave mais relevantes e competências linguísticas – É muito mais apelativo para o gestor de recursos humanos analisar o vosso curriculum, se o mesmo estiver visualmente apelativo através de esquemas gráficos e imagens.
  4. Experiência profissional ordenada da situação atual até ao início de carreira, mas atenção, foque-se nas funções e empresas mais relevantes, menos é mais! – Menos é mais ouvimos esta expressão inúmeras vezes e neste caso também se aplica. Se quando começou a trabalhar, a área não tinha nada a ver com a função a que se está a candidatar e nem acrescenta nenhuma característica-chave ao seu CV deverá remover essa experiência, pois apenas estará a tornar o seu CV maçudo e muito extenso.
  5. O mesmo acontece na Educação e Cursos de Formação, foque-se nos mais recentes graus académicos/escolaridade e nos cursos adquiridos – Por vezes vemos exemplos de CVs, que uma só folha está cheia de cursos adquiridos ao longo de toda a carreira. Se pensar bem o curso que realizou há cerca de 10 anos, de nada serve nos dias de hoje, se o mesmo não tiver sofrido uma “reciclagem” de conteúdos. Nos dias que decorrem, o que era certo há momentos atrás pode já não ser no momento atual, porque as legislações e conteúdos mudam a uma velocidade estonteante. Mais uma vez não acrescenta nada de positivo ao seu CV, apresentar cursos obsoletos e que não foram “reciclados” com novas formações.
infografico
Exemplo de uma boa fotografia e infográfico para CV.
Espero ter ajudado a entender melhor, quais os pontos fundamentais que deverá conter o seu CV.

Qualquer dúvida que tenha surgido disponha. Se precisar da minha criatividade estarei disponível para ajudar, por apenas 15€ crio-lhe um CV de 2 páginas em português, noutras línguas darei orçamento.

Feliz Natal e um Ano Novo cheio de alegrias

imagem

Feliz Natal e um Ano Novo cheio de alegrias

é o que desejamos a todos os nossos clientes!
imagem
Emails com este tipo de mensagem vão começar a surgir, na sua caixa de correio até final do ano.

Algo que descuramos e achamos mais do mesmo, é do ponto de vista estratégico uma ótima oportunidade, de mostrar aos seus clientes o quanto se importa com eles e o quanto se lembra deles.

Marketing Relacional não deve ser utlizado apenas na processo de compra, mas sim em todas as oportunidades que possam surgir, para entrar em contacto com os seus clientes, mostrando-lhes o quanto são especiais para a sua empresa.

imagem

Temos um presente para si!

imagem

Criamos a estrutura/layout do seu email de Natal
por apenas 79.90€
 

Depois apenas terá de enviar o mesmo, aos seus clientes.

Boas Festas!

imagem

O Natal está a chegar e com ele as campanhas online, com ofertas muito especiais!

O Natal está a chegar e com ele o consumismo inerente!

Já começou a pensar que campanhas de Natal irá fazer, para promover a sua empresa? Precisa de ajuda? Saiba mais aqui!

Já começou com as mesmas?

Já reparou que todas as grandes empresas, já têm as suas montras decoradas?

Todos os produtos que podem transformar-se em presentes ideias, já se encontram disponíveis para compra a preços muito especiais.

São muitas as empresas que oferecem descontos durante 2 a 3 dias e nalguns casos de apenas algumas horas, para que possa comprar os seus presentes antecipando toda aquela confusão de última hora, a preços muito apelativos.

Se ainda não começou com as suas campanhas, já está a ficar muito atrás dos seus concorrentes e se ainda não começou a aproveitar as promoções que vão surgindo, também está a desperdiçar ótimas oportunidades de poupar uns quantos euros.

No caso das campanhas no Facebook, quando corretamente segmentadas são uma ótima forma de atingir o seu público-alvo, com os produtos da sua empresa que são ótimos presentes de Natal. Saiba mais aqui!

campanha carrossel facebook

Campanha Facebook – Back on Track

No caso das campanhas no Google Adwords colocam a sua empresa lado a lado com concorrentes diretos, estando nas mãos do cliente escolher a melhor oferta para clicar e ser direcionado para o respetivo produto no site da empresa. Saiba mais aqui!

Campanha Adwords Imagens - Candiguarda

Campanha Adwords Imagens

De que está à espera?

O tempo está a passar e quanto mais tarde lançar as suas campanhas, menos hipótese terá de aumentar as suas vendas! Comece agora!
Deixe-me ajudá-lo(a) a fazer crescer o seu negócio.

consultoria de marketing

Consultora de marketing não é igual a Eng. Informática, Designer e Gestora de Clientes!

Conhecem a árdua tarefa de ser consultora de marketing, para pequenas e médias empresas?

Tenho-me deparado nos últimos anos, quando visito os meus clientes de que os mesmos olham para nós consultoras como as “salvadoras” da sua empresa e referem-me frases como: “…agora é que vão entrar clientes pela porta, com o marketing digital a funcionar”, “…quanto tempo demora até chegar o primeiro cliente?” “…quero x clientes já neste 1º mês” etc. etc.

Perguntas e afirmações como estas ouço diariamente, nas primeiras reuniões de consultoria. Nada mais irreal, pois são necessárias análises da empresa e do mercado e só depois através de todas as análises que temos definidas para tal (SWOT, BCG, etc.) podemos definir as estratégias que vamos adotar e os objetivos e previsões que vão ser definidas.

Outro ponto que me deixa bastante desanimada e que tento explicar aos empresários/as é o facto de acharem que a profissional de marketing tem de saber implementar tudo o que é necessário na sua empresa, para ela começar novamente a competir no mercado.

Mais especificamente quando falo que é necessário criar ou melhorar o website atual, questionam-me se o posso criar. Sou sincera com eles crio conteúdos para sites e artigos para blogs com base nas estratégias de SEO, agora pedirem-me para saber criar código HTML, CSS, etc. acho que é não terem a mínima noção de que é necessário um curso em engenharia informática ou algo similar e que existem profissionais qualificados à espera de uma oportunidade para fazerem esse serviço, com qualidade e rapidez de que necessitam.

O mesmo acontece com a área do Design, querem que saibamos fazer tudo e mais alguma coisa, que tenhamos técnica e conhecimentos de variados programas de design para criar designes complexos e criatividade para que os mesmos sejam inovadores e apelativos.

Já para não falar nas vendas, querem que sejamos um gestor de clientes exemplar, que consigamos levar o cliente a avançar por todas as fases do funil de vendas e inclusive fechar o negócio com o mesmo, fase essa que já pertence ao responsável de vendas, que tem toda a informação proveniente da equipa de marketing e apenas necessita de aplicar as estratégias de vendas da empresa aliadas à sua experiência profissional.

Este artigo serve apenas como um desabafo, pois se a área do marketing é tão vasta: marketing de conteúdo, marketing de experiências, marketing digital, marketing offline etc. etc. não podem exigir de nós conhecimento aprofundado na área do marketing e além disso em informática, design e vendas.

Um exemplo prático:

É como se eu fosse dentista e exigissem de mim funções completamente distintas da medicina dentária, tais como:

  • advocacia porque se algo correr mal no tratamento tenho de saber defender-me legalmente;
  • contabilidade porque se a gestão financeira não for corretamente realizada a clínica vai à falência etc. etc.

Cada profissional tem a sua área de intervenção que deve ser respeitada e não pode ser exigido a um profissional algo que não faz parte da sua profissão e que “rouba” trabalho que é realizado por colegas de outras áreas, com formação nas mesmas e com mais qualidade e conhecimento dessas funções.

“Contrate um profissional que seja bom na sua área de atuação e não um profissional que seja razoável em várias áreas de intervenção. Corre o risco de ficar pior do que o que estava.”

A consultoria de marketing é fundamental para uma análise da empresa e do mercado, bem como para orientar a empresa em cenários de incerteza. Mas após a consultoria a implementação das estratégias é fundamental que seja realizada por uma equipa de profissionais qualificados, nas suas distintas áreas: marketing, design, informática, vendas.

“Cada macaco no seu galho e a árvore dará muitos mais frutos!”
Deixe-me ajudá-lo(a) a fazer crescer o seu negócio.

Exemplo de Funil de Vendas de empresa de mobiliário

Imagine que o seu negócio é vender mobiliário maioritariamente: sofás e que tem um site onde fala sobre os cuidados que se deve ter quando vai escolher os seus sofás.

No topo do funil, um provável cliente está a pesquisar na internet sobre sofás e encontrou o blog da sua empresa.

O visitante do seu blog começa a ler um artigo que contém os 5 problemas mais frequentes que acontecem com os sofás e percebe que a sua situação é familiar com o problema número 3, referente às dores lombares que sente após estar alguns minutos sentado no seu sofá.

Seguindo as orientações do seu artigo, ele confirma que as dores lombares se devem ao facto do sofá estar demasiado mole e deformado nas zonas de apoio lombar e nos assentos. Ou seja, ele toma consciência do seu problema.

Em seguida, no meio do funil, o provável cliente pesquisa no seu site maneiras de reduzir as dores lombares que sente após estar sentado/a no seu sofá.

À procura de soluções para o seu problema, ele considera inicialmente colocar mais almofadas no seu sofá, para dar um maior suporte ao seu corpo quando se senta no mesmo, mas finalmente admite que o seu sofá já está mesmo estragado/deformado e precisa urgentemente de trocá-lo para que a sua saúde melhor e as dores lombares desapareçam. Resumindo: ele precisa tomar uma decisão de compra.

No fundo do funil, o futuro cliente compara os preços e as avaliações de várias lojas, pois os sofás são caros, e ele quer garantir que está a comprar algo de qualidade.

Como já está familiarizado com a sua empresa, também procura por novos sofás no seu site e descobre uma secção com depoimentos de clientes. Como a maioria dos depoimentos é positiva, ele decide realizar a compra.

Por fim, após a compra o novo cliente recebe via email um artigo com dicas de como cuidar do seu novo sofá, evitando deformações, nódoas difíceis etc. O novo cliente entende que a empresa realmente se importa com os seus clientes e está preocupada em ajudá-lo a manter o seu novo sofá por muito tempo.

Feliz com toda a experiência o novo cliente, deixa uma avaliação positiva na secção de depoimentos e torna-se assim um promotor da sua empresa.

Já entendeu porque os conteúdos relevantes, baseados nas várias fases do funil de vendas/marketing são essenciais para a sua empresa?

Deixe-me ajudá-lo(a) a fazer crescer o seu negócio.

 

 

Como o marketing de conteúdo me atrai clientes?

O marketing de conteúdo utiliza conteúdo relevante através do funil de vendas, para atingir potenciais consumidores, na intenção de criar um bom relacionamento e gerar mais conversões.

Através de informações relevantes as empresas conseguem atrair a atenção dos utilizadores presentes na Internet, transformá-los em leadspotenciais consumidores – e incentivar as leads qualificadas a concluírem uma compra.

Antes de mais nada, sabe o que é o funil de vendas?

O funil de vendas demonstra o percurso que um utilizador realiza até se tornar num interessado, num comprador e num defensor da sua marca/empresa.

Tal como o nome indica é um funil com um topo largo em direção a uma base estreita, pois a atração e entrada de utilizadores é sempre maior do que as conversões atingidas.

funil de vendas / marketing

Quais são então as etapas que percorrem o funil de vendas?

O funil de vendas é dividido em 3 etapas: topo, meio e fundo.

  1. Topo do funil — Descoberta do problema

O topo é conhecido como a etapa da consciência, pois até aqui a pessoa era indiferente à sua própria necessidade ou problema.

  • A pessoa não procurava nenhum produto ou serviço porque desconhecia que tinha esse problema. No entanto, quando tem o primeiro contato com a sua empresa/marca, ela compreende que existe esse gap e vai estudar sobre ele.
  • Chega então o momento de fornecer materiais que ajudem o visitante a diagnosticar o problema e a compreendê-lo. Deste modo, qualquer dúvida que surja sobre o assunto irá procurar a sua empresa para esclarecê-la.

Nessa etapa geralmente lidamos com visitantes, pessoas que chegaram até ao site, mas sobre as quais ainda não temos nenhuma informação.

Chega o momento de oferecermos-lhes materiais ricos, na tentativa de convertê-las em leads e fazê-las descer no funil de vendas.

 

  1. Meio do funil — Reconhecimento do problema e consideração da solução

A passagem da 1ª etapa para a 2ª é o reconhecimento do problema.

  • O visitante já leu bastante sobre o assunto e reconhece que realmente tem um problema. Neste momento está à procura de soluções para acabar com o problema e chega a altura da sua empresa apresentar dicas e técnicas que possam ajudá-lo/a.
  • Nessa fase, normalmente já lidamos com as leads, pessoas que já interagiram com o conteúdo e forneceram informações básicas de contato em troca do acesso a algum conteúdo.

Como o lead não sabe bem como resolver o seu problema, vai considerar várias soluções, inclusive a compra de um serviço. Porém, tem dúvidas se essa é realmente a opção correta para seu caso.

O objetivo da sua empresa é ajudar o lead e não vender-lhe algo à força toda, tem de estabelecer uma relação de confiança que será benéfica quando o lead já estiver qualificado e puder passar para a próxima fase do funil – a decisão de compra.

 

  1. Fundo do funil — Decisão de compra

No fundo do funil lidamos com MQLs (Marketing Qualified Leads) — leads que passaram por todo o processo de educação e que o Marketing classificou como prontas para receberem o contato do vendedor.

  • Uma MQL sabe que tem um problema que não o consegue resolver sozinha e como tal, precisa de contratar um serviço/comprar um produto.
  • Se a sua empresa acompanhou a lead até esta fase, então já é conhecida como uma empresa de referência de mercado e uma empresa em quem ela pode confiar para negociar o serviço/produto.

Chega então o momento certo, de mostrar que a sua empresa é a parceira certa que ela tanto procura, pois apresenta os produtos e/ou serviços que lhe resolvem o problema.

Após algumas comparações com outras empresas, a MQL vai escolher a que acredita ser a melhor alternativa e fecha o funil de vendas, realiza a compra e transforma-se num cliente.

Algumas empresas incluem ainda uma 4ª etapa: a pós-venda. Essa etapa é focada em fidelizar o novo cliente e transformá-lo num promotor da sua marca.

Deixe-me ajudá-lo(a) a fazer crescer o seu negócio.

Saiba mais aqui: Criação de conteúdo