A minha empresa não pode fazer campanhas online, porquê?

A minha empresa não pode fazer campanhas online, porquê?

Neste artigo vamos falar das muitas áreas de negócio que existem e faturam muito dinheiro no offline, mas que no mundo online ainda encontram muitas restrições, que as limitam em termos de crescimento e investimento publicitário. Sabe quais são?

Vamos começar pelas restrições de que falamos

Quando as empresas me pede ajuda para crescer online, uma das coisas que aconselho é darem-se a conhecer ao público que já se encontra online. Como? Através de campanhas online no google ads e no facebook ads.

Assim de repente parece simples e parece que todas as empresas o podem fazer, desde que tenham algum investimento disponível, mas não é bem assim!

O google e o facebook têm políticas de publicidade muito rígidas e que se forem violadas, lhe suspendem as contas para sempre, sem possibilidade de reverter essa situação.

Desta forma, antes de se iniciar no mundo das campanhas online é fundamental que se informe sobre estas politicas ou se não quiser perder tempo, entregue este serviço a alguém que esteja por dentro do assunto e sempre atualizado quanto às ultimas novidades.

  • De seguida pode consultar as políticas praticadas pelo google ads, para que as suas campanhas não passem por reprovações e pior, não lhe façam com que a sua conta seja suspensa para sempre: Políticas de publicidade do google.
  • Deixamos também as políticas de publicidade do Facebook, muito importantes para que a sua conta de anúncios não seja eternamente bloqueada, bem como a sua página da empresa, onde irá perder todo o conteúdo publicado ao longo dos últimos anos, bem como seguidores, fotografias etc.. Veja aqui as políticas de publicidade do Facebook.

Resumo das áreas de negócio proibidas ou com restrições devido às políticas de publicidade do google e facebook

Ambas as políticas de publicidade do google e facebook, contêm áreas de negócio semelhantes, isto é, empresas que vendam os seguintes produtos/serviços, não podem anunciar no google nem no facebook.

Vejam a seguinte lista, para ver se os produtos/serviços da sua empresa se encontram na mesma:

  1. Produtos ou serviços ilegais;
  2. Serviços com práticas discriminatórias;
  3. Tabaco e produtos relacionados;
  4. Substâncias perigosas – drogas ilícitas ou recreativas ou outras substâncias;
  5. Armas, munições ou explosivos;
  6. Produtos ou serviços para adultos;
  7. Conteúdos para adultos;
  8. Infrações de terceiros;
  9. Conteúdos sensacionalistas;
  10. Características pessoais;
  11. Desinformação;
  12. Conteúdos controversos;
  13. Página de destino não funcional;
  14. Práticas fraudulentas e enganosas;
  15. Gramática e profanidade;
  16. Funcionalidade não existente;
  17. Saúde pessoal;
  18. Empréstimos de pagamento, avanços de pagamento e cauções;
  19. Marketing multinível;
  20. Leilões;
  21. Alegações enganosas;
  22. Conteúdos de baixa qualidade ou inoportunos;
  23. Spyware ou malware;
  24. Práticas comerciais inaceitáveis;
  25. Evasão ao funcionamento dos sistemas;
  26. Produtos e serviços financeiros proibidos;
  27. Venda de partes do corpo;
  28. Desaconselhamento da vacinação;
  29. Conteúdos provocadores;
  30. Movimentos sociais militarizados e redes de conspiração que incentivam à violência.

Áreas de negócios com restrições, isto é, podem anunciar desde que com alguns cuidados:

  1. Álcool;
  2. Encontros;
  3. Jogos e apostas online;
  4. Promoção de farmácias online;
  5. Promoção de medicamentos não sujeitos a receita médica;
  6. Serviços de subscrição;
  7. Produtos e serviços financeiros e de seguros;
  8. Conteúdos de marca;
  9. Anúncios relacionados com questões sociais, eleições ou política;
  10. Avisos legais para anúncios relacionados com questões sociais, eleições ou política;
  11. Produtos e serviços de criptomoeda;
  12. Tratamento da toxicodependência e alcoolismo;
  13. Procedimentos de cosmética e bem-estar;
  14. Jogos de casino;
  15. Promoção de medicamentos sujeitos a receita médica.

Posto isto deverá estar a pensar, a minha empresa encontra-se nesta lista e agora?

Bem a solução passa por apostar em marketing de conteúdo, estratégias de SEO no seu website, email marketing e marketing offline através dos meios mais tradicionais, sem tantas restrições.

Na prática significa que terá de apostar em ferramentas com menos restrições e que funcionem bem, mas quais são elas?


  1. Marketing de conteúdo
marketing de conteúdo no blog

O seu site é a sua principal ferramenta para atrair visitantes para o mesmo, logo o conteúdo do mesmo tem de estar com a melhor classificação possível em termos de SEO, para atrair organicamente visitantes para o seu site.

Como fazer isso?

Melhorando o conteúdo existente para classificações mais elevadas e criando artigos no blog, que resolvam as principais dúvidas dos seus potenciais clientes, que são resolvidas através dos seus produtos ou serviços.

Por exemplo, se vende tabaco a vapor e sabe que é um dos sectores que não pode fazer publicidade online, porque não, aproveitar o seu blog ao máximo e esclarecer, como funcionam os vaporizadores, quais os melhores óleos vaporizáveis para nos iniciarmos com os vaporizadores, falar da variedade de óleos existentes e quais as suas principais diferenças, entre muitos outros temas e dúvidas, que surgem diariamente na mente dos potenciais clientes.

Ao ajudá-los a esclarecer todas estas dúvidas estará a transmitir-lhes a confiança necessária, sobre a sua área de atuação e a mostrar-lhes que a sua empresa é especializada na área e como tal, merece que a sua compra seja realizada na mesma, devido a toda a informação esclarecedora que ajudou na tomada de decisão.


  1. SEO e SEO Local

Acabou de lançar o seu site e achava que ele ia estar posicionado na 1ª página dos motores de busca, mas afinal não está?

Claro que não está, nem estará tão cedo. Quando abre uma loja física ela fica logo na boca e mente de toda a gente, se não for promovida corretamente? Não.

Com o seu site acontece o mesmo. Ele é lançado os motores de busca vão indexá-lo e se o conteúdo nele contido for de qualidade receberá uma classificação melhor, mas isso não implica automaticamente que vá logo para os primeiros lugares, leva tempo e dedicação a melhorar cada vez mais os seus conteúdos.

Além disso, quem visita o seu site também estará a classificá-lo através da facilidade de navegação no mesmo, que se traduz em muitas variáveis, uma delas o tempo de permanência no mesmo. Isto é, quanto mais tempo um visitante passar no seu site, significa para os motores de busca que o visitante encontrou o que procurava e que a informação é de qualidade. Caso a taxa de rejeição do seu site seja elevada os motores de busca não o classificam como tão bom, porque significa que o que você apresenta na “capa” do seu site não corresponde ao seu interior e/ou que o conteúdo é pobre e de fraca qualidade ou dificil de navegar no mesmo (imagens desformatadas, velocidade do site muito lenta, texto incompleto na janela etc.).

Aposte também no SEO Local através da ficha google da sua empresa, disponível na pesquisa do google e no google maps para que seja mais uma forma de dar relevância e visibilidade à sua empresa, através de uma ferramenta poderosíssima do google.

Como vê são muitos os fatores em termos de SEO a melhorar, para que a longo prazo o seu site comece a subir no ranking dos motores de busca.


  1. Email Marketing
email marketing

Os seus clientes atuais, que fazem registo na loja online ou na loja física normalmente deixam um meio de contacto, para receberem novidades dos seus produtos/serviços. Quando isso acontece, com o consentimento deles é algo muito importantes para a sua empresa, porque significa que o cliente quer manter uma relação com a sua empresa e deseja ficar a par de todas as novidades.

Desta forma, deverá enviar emails marketing devidamente segmentados por nichos de clientes, para que a oferta que lhes enviar vá de acordo com o seu perfil de consumo. Isto é, se o cliente lhe comprar um vaporizador, ao fim de x dias vai necessitar de uma nova recarga de óleo vaporizável, nessa altura uns dias antes deverá enviar um email marketing a esse segmento de clientes a sugerir-lhe o óleo que compraram e sugerindo novos óleos, com outras características para que o cliente possa ter uma maior oferta disponível.

Tenha muita atenção ao que envia, porque se se enganar no envio de um email marketing vai ser muito frustrante para o segmento de clientes que receber e terá um impacto muito negativo na sua marca. Imagine enviar um email marketing sobre charutos cubanos, para um grupo de clientes que apenas lhe comprou vaporizáveis, provavelmente não apreciam esse tipo de produto, sendo completamente desapropriado e causando frustração, pela perda de tempo a abrir um email que vai diretamente pro lixo e até pode ser marcado como spam pelo cliente, por ver que a oferta não vai ao encontro do que procura, causando-lhe uma grande desilusão e perdendo a sua empresa uma relação com esse cliente.

Resumindo não utilize o email marketing de forma leviana e sem qualquer estratégia de vendas previamente definida. Se não souber como fazer, entregue essa tarefa a quem sabe.


Resumo do artigo

Estes 3 pontos anteriores irão ajudar a sua empresa, a contornar o problema da proibição de fazer campanhas publicitárias online, nas principais plataformas.

Contudo deverá estar sempre atento/a ao mercado, pois a qualquer momento as políticas de publicidade podem ser revistas e atualizadas e a sua empresa poderá começar a fazer publicidade e a conquistar mais rapidamente o mercado online.

Espero ter ajudado a clarificar um pouco este tema tão pouco abordado.

Para mais novidades, siga-nos nas redes sociais: Facebook e Instagram.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s